top of page

Afinal suas escolhas são racionais ou emocionais? Você tem inteligência emocional na hora da compra?


emojis com diferentes moods revelando várias possibilidades de humor no dia
Você pensa antes de comprar ou compra sem pensar? Justifica a sua compra racionalmente?


A inteligência emocional é um conceito que tem ganhado cada vez mais atenção nos últimos anos. Trata-se da capacidade de entender e gerenciar as emoções, tanto próprias quanto dos outros, a fim de alcançar melhores resultados em diferentes áreas da vida.


Neste artigo, vamos explorar as principais características da inteligência emocional, bem como sua importância para o sucesso pessoal e profissional.



Emoções: o que são e como funcionam


As emoções são reações complexas que nosso corpo e mente experimentam em resposta a diferentes estímulos. Elas podem ser classificadas em emoções primárias, como alegria, tristeza, raiva e medo, e emoções secundárias, como culpa, inveja e vergonha.


Cada emoção tem um propósito específico e pode influenciar nosso comportamento, pensamentos e ações.


As emoções primárias são consideradas as emoções mais básicas e universais, e são aquelas que surgem naturalmente, sem a influência da cultura ou do ambiente. Já as emoções secundárias são compostas de duas ou mais emoções primárias misturadas. Aqui estão listadas as emoções primárias e secundárias:


Emoções primárias:

  • Alegria

  • Tristeza

  • Medo

  • Raiva

  • Nojo

  • Surpresa


Emoções secundárias:

  • Culpa: mistura de tristeza e raiva

  • Vergonha: mistura de medo e nojo

  • Ansiedade: mistura de medo e surpresa

  • Remorso: mistura de tristeza e nojo

  • Amor: mistura de alegria e confiança

  • Esperança: mistura de alegria e otimismo

  • Desespero: mistura de tristeza e medo

  • Apatia: mistura de tristeza e nojo


Essas são apenas algumas das emoções secundárias, e muitas outras combinações são possíveis. É importante lembrar que as emoções são complexas e individuais, e as pessoas podem experimentá-las de maneiras diferentes.



Você sabe qual a diferença entre sentimento e emoção?


Embora os termos "sentimento" e "emoção" sejam frequentemente usados ​​de forma intercambiável, eles não são sinônimos. Sentimentos são respostas subjetivas às emoções e geralmente têm uma dimensão cognitiva, ou seja, envolvem pensamentos e julgamentos sobre a emoção experimentada. Em contraste, as emoções são reações mais diretas e imediatas a um estímulo.



Características da inteligência emocional: utilidade pública


As pessoas que possuem alta inteligência emocional geralmente apresentam algumas características comuns, como a capacidade de reconhecer e expressar suas próprias emoções de maneira saudável, a habilidade de entender as emoções dos outros e uma boa capacidade de se comunicar de forma clara e assertiva. Além disso, elas são capazes de gerenciar suas emoções de maneira eficaz, o que pode ajudá-las a tomar decisões melhores e a lidar com situações desafiadoras de forma mais tranquila e equilibrada.



Importância da inteligência emocional para o sucesso pessoal e profissional


A inteligência emocional pode desempenhar um papel crucial em diferentes áreas da vida, incluindo relacionamentos pessoais e profissionais, desempenho no trabalho e bem-estar emocional. No ambiente de trabalho, por exemplo, indivíduos com alta inteligência emocional podem ser melhores líderes, ter mais facilidade para trabalhar em equipe e ser mais resilientes diante de desafios.


No âmbito pessoal, a inteligência emocional pode contribuir para relações mais saudáveis, tanto com a família e amigos quanto com parceiros românticos.




Quem estudou as emoções a fundo


Sigmund Freud, Jacques Lacan e Carl Jung são três dos psicólogos mais famosos e influentes da história que também estudaram as emoções e sua relação com a psicologia humana.


> Sigmund Freud: psicanalista austríaco que propôs a teoria das emoções reprimidas e o conceito de "inconsciente", argumentando que muitas emoções e desejos humanos são reprimidos ou suprimidos e podem se manifestar de formas diversas, como sonhos, sintomas físicos e comportamentos inadequados.


> Jacques Lacan: psicanalista francês que desenvolveu a teoria da psicanálise estrutural, argumentando que a emoção e o desejo são fundamentais para a estruturação da personalidade e que a linguagem é um aspecto central da experiência emocional.


> Carl Jung: psiquiatra suíço que propôs a teoria da psicologia analítica, enfatizando a importância do inconsciente coletivo e dos arquétipos na experiência emocional e na formação da personalidade.


Embora as teorias de Freud, Lacan e Jung sejam bastante diferentes em muitos aspectos, todos eles contribuíram significativamente para o nosso entendimento das emoções e da psicologia humana em geral.



Um dos pesquisadores mais famosos que estudou as emoções a fundo foi o psicólogo americano Paul Ekman. Ele é conhecido por suas pesquisas pioneiras sobre as expressões faciais e as emoções humanas, e desenvolveu um sistema de codificação de expressões faciais conhecido como FACS (Facial Action Coding System).


Ekman foi um dos primeiros psicólogos a estudar a expressão emocional em diferentes culturas e descobriu que as emoções humanas básicas, como a felicidade, a tristeza, o medo, a raiva, o nojo e a surpresa, são universais e são expressas de forma semelhante em todo o mundo.


Seu trabalho também teve um impacto significativo na área da psicologia forense, ajudando a desenvolver técnicas para detectar mentiras com base em microexpressões faciais. Ele é autor de vários livros sobre emoções e expressões faciais, incluindo "As Faces da Emoção" e "Emoções Reveladas".


Além de Paul Ekman, outros pesquisadores que se destacaram no estudo das emoções incluem:


> Richard Lazarus: psicólogo americano que desenvolveu a teoria do estresse e do coping, que se concentra nas emoções e no pensamento que surgem quando as pessoas enfrentam situações estressantes.


> Daniel Goleman: psicólogo americano que popularizou o conceito de inteligência emocional e escreveu vários livros sobre o assunto, incluindo "Inteligência Emocional" e "Inteligência Social" (recomendo fortemente ambas leituras).


> Antonio Damasio: neurocientista português-americano que estudou a relação entre emoções e tomada de decisão, argumentando que as emoções desempenham um papel fundamental na tomada de decisões e que o cérebro emocional é tão importante quanto o cérebro racional.


> Joseph LeDoux: neurocientista americano que estudou os processos cerebrais envolvidos na emoção e no medo, e desenvolveu uma teoria sobre o papel do sistema límbico no processamento emocional.


Esses pesquisadores e muitos outros contribuíram significativamente para o nosso entendimento das emoções e sua importância na vida humana.


Existem muitas mulheres notáveis que se destacaram no estudo das emoções. Aqui estão algumas delas:


> Mary Ainsworth: psicóloga canadense que é mais conhecida por seu trabalho em apego infantil. Seus estudos sobre o apego infantil revelaram que as interações emocionais entre pais e filhos são cruciais para o desenvolvimento emocional saudável das crianças.


> Alice Miller: psicóloga suíça que se concentrou em como a repressão emocional na infância pode levar a problemas emocionais na vida adulta. Seu trabalho destacou a importância de uma educação emocional adequada na infância para a saúde mental a longo prazo.


> Carol Gilligan: psicóloga americana que se concentrou na diferença entre a moralidade feminina e masculina. Ela argumentou que as mulheres tendem a ter uma abordagem mais relacional e baseada em cuidados em relação à moralidade, enquanto os homens tendem a ter uma abordagem mais individualista e baseada em justiça.


> Brené Brown: professora e pesquisadora americana que estuda a vulnerabilidade, a empatia e a coragem. Seu trabalho destaca a importância de se permitir sentir emoções e ser vulnerável para criar conexões emocionais autênticas com outras pessoas.


Essas mulheres e muitas outras fizeram contribuições significativas para nosso entendimento das emoções e como elas influenciam nossa vida emocional e psicológica.



Bem, entendemos a base sobre as emoções e quero apresentar a você o que está por trás das marcas e campanhas publicitárias:



Aplicação da Inteligência Emocional no Marketing


As emoções também têm um papel importante no marketing, pois podem influenciar as decisões de compra dos clientes. As empresas podem utilizar a inteligência emocional para entender as necessidades emocionais dos clientes e desenvolver estratégias de marketing mais eficazes, capazes de gerar uma conexão emocional com o público-alvo.


Isso pode ser observado em marcas conhecidas, como a Coca-Cola, que associa sua imagem à felicidade e ao compartilhamento, e a Nike, que usa emoções como determinação e superação em suas campanhas


A Inteligência Emocional é, portanto, uma habilidade fundamental para o sucesso em diversas áreas da vida, incluindo o mundo dos negócios e do marketing. Isso porque, ao entender as emoções e necessidades emocionais dos clientes, as empresas podem criar estratégias mais eficientes para conquistar e fidelizar esses clientes.


Um exemplo claro disso é a forma como grandes marcas utilizam as emoções para criar conexões com os consumidores. Empresas como Coca-Cola, Apple e Nike, por exemplo, são conhecidas por suas campanhas publicitárias emocionais, que criam histórias e narrativas envolventes para seus produtos, criando assim uma forte conexão emocional com os clientes.


Existem muitos exemplos de grandes marcas que criaram conexões emocionais com seus produtos, e aqui estão alguns deles:


> Coca-Cola: A marca Coca-Cola é conhecida por suas campanhas publicitárias emocionantes e inspiradoras. Suas propagandas muitas vezes apresentam temas como a felicidade, amizade, união e celebração, que criam conexões emocionais com seus consumidores.


> Nike: A Nike é conhecida por suas campanhas publicitárias motivacionais que incentivam as pessoas a superarem seus limites. Suas propagandas frequentemente apresentam histórias inspiradoras de atletas e pessoas comuns que alcançaram grandes feitos através da determinação e perseverança, criando assim uma conexão emocional com seus consumidores.


> Apple: A Apple é conhecida por seus produtos inovadores e design elegante, mas também por criar uma conexão emocional com seus consumidores. Seus anúncios frequentemente apresentam temas como a liberdade, criatividade e simplicidade, que criam uma conexão emocional com seus clientes.


> Dove: A Dove é conhecida por suas campanhas publicitárias que promovem a autoestima e a aceitação do corpo. Suas propagandas muitas vezes apresentam pessoas de diferentes tamanhos e formas corporais, e incentivam as pessoas a se sentirem confiantes e bonitas como são, criando uma conexão emocional com seus consumidores.


Esses exemplos demonstram como as grandes marcas muitas vezes se conectam emocionalmente com seus consumidores por meio de campanhas publicitárias inspiradoras, motivacionais e que promovem valores positivos. Isso pode resultar em uma lealdade à marca e fidelização do cliente ao longo do tempo.


Mas não são apenas as grandes marcas internacionais que sabem utilizar as emoções a seu favor. No Brasil, diversas marcas menores também conseguem criar essa conexão emocional com seus clientes, como é o caso da Havaianas, que se tornou uma das marcas mais populares do país graças a uma campanha publicitária que transformou as simples sandálias em um ícone de moda e estilo de vida.


Marcas brasileiras também criam conexões emocionais com seus consumidores. Veja:


> Natura: A Natura é uma marca de cosméticos que tem uma forte conexão emocional com seus consumidores por meio de suas campanhas publicitárias que promovem a sustentabilidade e o cuidado com o meio ambiente. A marca também promove a inclusão social e a valorização da beleza natural de cada pessoa, criando assim uma conexão emocional com seus consumidores.


> Havaianas: A marca de chinelos Havaianas é conhecida por sua abordagem divertida e descontraída. Suas campanhas publicitárias frequentemente apresentam pessoas se divertindo na praia ou em outras situações relaxantes, criando uma conexão emocional com seus consumidores.


> Cacau Show: é uma marca de chocolates que tem uma forte conexão emocional com seus consumidores por meio de suas campanhas publicitárias que apresentam temas como o amor, a amizade e a celebração. A marca também promove a qualidade e a variedade de seus produtos, criando assim uma conexão emocional com seus consumidores.


> Kopenhagen: é outra marca de chocolates que cria uma conexão emocional com seus consumidores por meio de suas campanhas publicitárias que apresentam temas como a sofisticação, o luxo e o prazer. A marca também promove a qualidade e a exclusividade de seus produtos, criando assim uma conexão emocional com seus consumidores.



As marcas de carro frequentemente criam conexões emocionais com seus consumidores por meio de suas campanhas publicitárias e da imagem que elas promovem. Aqui estão alguns exemplos:


> Volkswagen: conhecida por promover a segurança e a confiabilidade em seus veículos. Suas campanhas publicitárias frequentemente apresentam famílias e crianças, criando uma conexão emocional com seus consumidores que se preocupam com a segurança de seus entes queridos.


> Jeep: A marca Jeep é conhecida por sua abordagem aventureira e robusta. Suas campanhas publicitárias frequentemente apresentam veículos em situações off-road, criando uma conexão emocional com seus consumidores que gostam de explorar e de se aventurar.


> Audi: A Audi é conhecida por sua abordagem sofisticada e tecnológica. Suas campanhas publicitárias frequentemente apresentam veículos em situações urbanas e elegantes, criando uma conexão emocional com seus consumidores que apreciam a tecnologia e a sofisticação.


> Fiat: A Fiat é conhecida por sua abordagem jovial e moderna. Suas campanhas publicitárias frequentemente apresentam veículos em situações urbanas e descontraídas, criando uma conexão emocional com seus consumidores que buscam praticidade e estilo.


Esses exemplos mostram como as marcas de carro podem criar conexões emocionais com seus consumidores por meio da imagem que elas promovem e das emoções que elas despertam em seus consumidores, resultando em uma fidelização à marca e em uma preferência por seus veículos no momento da compra.



No entanto, para criar essa conexão emocional com os clientes, as empresas precisam entender as necessidades emocionais desses clientes. Segundo especialistas em marketing, essas necessidades emocionais incluem a busca por segurança, pertencimento, reconhecimento e realização pessoal.


"Previsivelmente Irracional" é um livro escrito por Dan Ariely que explora as formas como as pessoas tomam decisões irracionais. Ele argumenta que, mesmo quando acreditamos estar tomando decisões racionais, muitas vezes somos influenciados por emoções, instintos e outras forças ocultas. O livro apresenta uma série de experimentos e exemplos que mostram como as pessoas tomam decisões irracionais em áreas como finanças, saúde, relacionamentos e muito mais.


A obra também oferece esclarecimento sobre como as empresas podem utilizar esse conhecimento para entender melhor os comportamentos do consumidor e criar produtos e serviços que atendam às necessidades emocionais de seus clientes.



Entenda quais são as necessidades mais comuns das pessoas


As necessidades emocionais dos clientes variam de acordo com cada pessoa e contexto. No entanto, algumas necessidades emocionais comuns incluem:

  1. Sentimento de pertencimento: os clientes querem se sentir parte de um grupo, seja uma comunidade de consumidores ou uma marca que reflita seus valores e interesses.

  2. Conexão emocional: os clientes buscam por uma conexão emocional com a marca ou produto, que pode ser criada por meio de campanhas publicitárias, storytelling e experiências personalizadas.

  3. Autenticidade: os clientes valorizam marcas e produtos que são autênticos e genuínos, e que transmitem uma imagem transparente e honesta.

  4. Status: alguns clientes buscam por produtos ou marcas que simbolizem status, poder ou exclusividade, e que os diferenciem dos demais.

  5. Satisfação pessoal: os clientes buscam por produtos ou marcas que os façam sentir satisfeitos e realizados pessoalmente, seja pela utilidade, beleza ou prazer que eles proporcionam.


O estudo das emoções é fundamental para o desenvolvimento humano e para o sucesso em diversos aspectos da vida. Compreender as emoções e desenvolver a inteligência emocional pode trazer benefícios não só para os indivíduos, mas também para as empresas e para a sociedade como um todo.



Comments


bottom of page